1 maio

No dia do trabalhador

01 mai, 2013

1 de Maio

Ainda noite, um novelo de imagens, de palavras.
Vidas ditas em queixas e em gritos.
Ainda noite, irrompe de um pesadelo a prece.

Neste Dia do Trabalhador de 2013.
No meu bairro e em todos os bairros da cidade.
Neste país e neste nosso mundo.

Senhor, muito melhor do que eu, Tu sabes.
E no entanto insisto nesta prece.

Por todos os trabalhadores.
Por aqueles a quem o trabalho dá mais sentido à vida
e aí se faz a festa e nascem os afetos.
E pelos que nunca rendem quanto é preciso.
É que uma qualquer força desumana lhes impõe uma meta desmedida.
Têm contornos de morte estas fadigas.
E por quantos são obrigados a parar.
Porque a fábrica fechou.
O self-service não dá lucro.
Ou ele é um excedentário.
Gente perdida, que não sabe o horizonte.

É assim este dia.
Senhor, não deixes que sucumbam.
Lembra-lhes que são Teus irmãos, filhos do mesmo Pai.
Percorre os seus caminhos
.


Maria Teresa Frazão