Tempo
|

INEM quer contratar mais de 150 profissionais

13 jan, 2015

Instituto vai reforçar serviço de atendimento e as equipas de emergência que trabalham nas ambulâncias.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) quer contratar ainda este ano mais de 150  profissionais para o serviço de atendimento telefónico e para trabalhar nas ambulâncias.

Para o atendimento das chamadas de emergência o INEM vai abrir, em breve, um concurso para a contratação de 70 profissionais, avança o INEM, em comunicado.

Actualmente, existem 185 técnicos operadores de telecomunicações de emergência. O INEM garante que o número de profissionais nos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) permite que as chamadas de emergência sejam atendidas rapidamente, "na casa dos segundos", mas pretende reforçar o quadro de pessoal.

O Instituto Nacional de Emergência Médica também tem autorização para abrir um concurso externo para a contratação sem termo de 85 novos técnicos de emergência para trabalhar nas ambulâncias, que vão reforçar a equipa de 770 profissionais ao serviço.

No comunicado, o INEM também reagiu a um estudo que indica que 75% dos técnicos de ambulância de emergência se encontravam em “burnout”, uma síndrome de exaustão emocional relacionado com profissões de saúde.

Os resultados do estudo revelaram também que existiam "valores equivalentes de `engagement`, ou seja, da capacidade destes profissionais se manterem envolvidos na sua profissão, atribuindo um significado ao trabalho que desenvolvem e à tarefa que realizam", argumenta o Instituto.

Na sequência dos resultados do estudo, o INEM decidiu em Outubro de 2013 dar início ao Programa "Cuidar dos que Cuidam - Programa de prevenção de `burnout` e promoção de ‘engagement’", tendo decorrido até ao momento 55 acções de formação para ensinar a conhecer e identificar o ‘burnout’ e a desenvolver aptidões e treino de competências, sublinha.