Tempo
|

É cada vez mais difícil aviar uma receita nas farmácias

03 jun, 2013

Quase metade dos utentes não consegue levantar os medicamentos de que necessita, revela um estudo da consultora Delloite. Dificuldade de reposição de medicamentos agravou-se desde o ano passado.

Quase metade dos portugueses (46%) já foi confrontada com o facto de ter de voltar à farmácia, por não conseguir aviar os medicamentos naquele momento. É a consequência directa da falta de “stocks” de medicamentos nas farmácias nacionais e a conclusão é da consultora Delloite, num estudo para a Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma).

A investigação, divulgada esta segunda-feira pelo “Jornal de Notícias”, aponta para um aumento dos remédios em falta nas farmácias e aponta para um agravamento da situação, atestado por 90% dos inquiridos, entre utentes, farmacêuticos e médicos.

A totalidade das 122 farmácias envolvidas no trabalho da Deloitte admite falhas no abastecimento, o que tem consequências negativas além da perda de tempo: muitos doentes abandonaram a toma e 41% acabaram por atrasar o seu início, revelam os médicos e farmacêuticos contactados.

Foi a segunda vez que a consultora fez um estudo sobre o tema, a pedido da Apifarma.