Tempo
|

Papa presenteado com a Obra Completa do padre António Vieira

03 mar, 2015

Mais de 50 investigadores de várias áreas, de Portugal e do Brasil, trabalharam nesta obra. O jesuíta, que viveu entre 1608 e 1697, pode ser hoje visto como um "autor anticrise".

A Obra Completa do padre António Vieira, concluída em Dezembro passado, é oferecida, na quarta-feira, ao Papa Francisco e apresentada pelo bispo Carlos Azevedo, em Roma, na igreja de Santo António dos Portugueses.

A obra, em 30 volumes divididos em quatro tomos, começou a ser publicada em Abril de 2013 e foi considerada, pelo historiador José Eduardo Franco, um dos seus coordenadores, "o maior projecto da história editorial portuguesa". 

"Das 15 mil páginas, cerca de um quarto são de inéditos ou textos parcialmente inéditos, nomeadamente, teatro e poesia, da autoria de Vieira, que até os investigadores desconheciam".

Franco, que coordenou a edição com Pedro Calafate, afirmou que o jesuíta, que viveu entre 1608 e 1697, pode ser hoje visto como um "autor anticrise".

"As soluções que ele apresentou para o país, os escritos dele sobre a nossa mentalidade e os nossos políticos [permitem] dizer que ele é um autor, uma figura histórica anticrise", afirmou José Eduardo Franco, que acrescentou que Vieira "ainda hoje nos ensina a bem falar, bem escrever e bem comunicar a Língua Portuguesa".

Reabilitar a memória
Na quarta-feira, pelas 10h00 (9h00 em Portugal Continental e Madeira), a Obra Completa é oferecida ao pontífice pelo reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, acompanhado por António Nóvoa, ex-reitor. Fazem ainda parte da comitiva "destacados administradores do conselho de administração e coordenadores da direcção editorial do Círculo de Leitores (CL)".

Também na quarta-feira, às 18h00 locais, em Roma, a Obra Completa do padre António Vieira é apresentada na igreja de Santo António dos Portugueses, onde Vieira pregou.

Em declarações à Lusa, a editora do CL Guilhermina Gomes afirmou que a "publicação desta Obra Completa, ao dar a conhecer a um vasto público a magnificência da prosa do Padre António Vieira, escritor maior da língua portuguesa, foi a grande reabilitação da memória".

Referindo-se à audiência no Vaticano, a responsável afirmou: "A nossa oferta ao Papa Francisco permite o regresso simbólico a Roma do nosso maior pregador".

Guilhermina Gomes acrescentou que "todos os dias" continuam "a ter no Círculo de Leitores novos subscritores da Obra Completa" e adiantou à Lusa que, a partir do próximo dia 20, "estará em livraria, com a chancela Temas e Debates, a edição de História do Futuro, sendo que, durante este ano, serão publicados mais três livros do autor".

A Obra Completa juntou 52 investigadores de várias áreas, de Portugal e do Brasil.