Tempo
|

Dívida lusófona ao Instituto da Língua Portuguesa vai em meio milhão

29 out, 2013

Dificuldades financeiras foram expostas pelo director, à Renascença, no dia em que em Lisboa arrancou a segunda conferência internacional sobre o futuro do português.

A dívida dos países lusófonos ao Instituto Internacional de Língua Portuguesa ascende a 500 mil euros. O director deste organismo, responsável pela promoção da língua, admite que tem dificuldade em receber as verbas que lhe faltam dos países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Gilvan Muller de Oliveira admite no entanto que tem procurado fora financiamentos alternativos.

Até porque, explica o director do Instituto Internacional de Língua Portuguesa, a dívida é equivalente a dois orçamentos daquele organismo. “Temos dificuldade em receber, temos trabalhado com uma média de 50% do orçamento aprovado, e como isto se estende já há muito tempo temos já uma dívida que ultrapassa dois anos de orçamento.”

“Também fomos capazes pela primeira vez de captar financiamento externo e apresentámos uma proposta de abrir escritórios regionais que nos ajudassem a captar melhor os recursos disponíveis para os projectos. Um escritório no Brasil, por exemplo, ajudaria a captar os recursos para os diversos projectos brasileiros”, exemplifica Gilvan Muller.

As dificuldades financeiras do Instituto Internacional Da Língua Portuguesa expostas pelo director no dia em que em Lisboa arrancou a segunda conferência internacional sobre o futuro do português.