Tempo
|

"As minhas primeiras orações" já chegaram à Coreia do Sul

05 mai, 2013 • Ângela Roque

Livro de Thereza Ameal foi editado em português, italiano e sul-coreano e agora vem aí a América Latina.

"As minhas primeiras orações" já chegaram à Coreia do Sul

O livro de orações para crianças, de Thereza Ameal, despertou a atenção de italianos e sul-coreanos, e já foi editado nas duas línguas. Na recente Feira do Livro de Bogotá ficou garantida a distribuição, em espanhol, por toda a América Latina.

Thereza Ameal fala da surpresa que foi saber que o livro "As minhas primeiras orações" também ia ensinar a rezar crianças na Coreia do Sul: "Foi uma coisa muito inesperada, foi na Feira do Livro de Frankfurt, e houve um grande interesse".

Houve logo uma tradução para italiano e uma tradução para coreano, que emocionou a autora: "Quando eu vi o livro com estes caracteres diferentes. Estamos a ajudar na evangelização da Ásia, e num país onde o cristianismo está num crescimento muito grande. Foi uma enorme alegria", diz.

Thereza Ameal acredita que o facto de estarmos no Ano da Fé fez crescer a procura e o interesse por este tipo de obras. E teve a prova disso mesmo na recente Feira do Livro de Bogotá, onde "As minhas primeiras orações" e o seu livro mais recente, "Orações para todas as ocasiões", chamaram de novo a atenção: "os dois livros foram escolhidos para ser editados em espanhol para serem distribuídos por toda a América Latina".

A escritora não esconde também a emoção que sentiu quando viu os dois livros serem recomendados pelo Plano Nacional de Leitura: "foi uma surpresa, porque é raro entrarem obras de cariz religioso". Para si este foi o "selo de qualidade" que faltava para afastar os preconceitos de muitas livrarias: "a princípio pediam poucos livros, era um bocadinho à experiência, pediam 3 ou 4. Depois começaram a ver que afinal saíam e que valia a pena pô-los com algum destaque".

"As minhas primeiras orações" e "Orações para todas as ocasiões", para crianças, são duas obras de Thereza Ameal com ilustrações de Raquel Pinheiro, e publicadas pela Paulus Editora. Os dois livros são também recomendados pela Pastoral da Cultura.