Tempo
|

Porta-voz da Conferência Episcopal desconhece investigação a D. Carlos Azevedo

22 fev, 2013

Padre Manuel Morujão refere não ter razões para não acreditar em D. Carlos Azevedo, acusado de alegado assédio sexual numa queixa apresentada junto da Nunciatura Apostólica.

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa diz que não tem conhecimento oficial de qualquer investigação ao bispo D. Carlos Azevedo.

“Não tenho a mínima informação sobre esse assunto, aliás ouvi a sua palavra, acho que tenho que confiar nas pessoas e tenho razões para acreditar no que ele disse”, referiu o padre Manuel Morujão, em declarações registadas pela Renascença esta sexta-feira, em Roma.

“Não vou estar agora com conjecturas. Estes assuntos devem ser tratados com seriedade, acho que é por esse caminho que devemos seguir”, defendeu ainda o padre.

Segundo a revista “Visão”, o bispo português é acusado de ter cometido assédio sexual na década de 80, numa queixa apresentada, por um padre, em 2010 junto da Nunciatura Apostólica em Lisboa.

Também o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, afirmou esta sexta-feira não ter conhecimento de nenhum processo de investigação a D. Carlos Azevedo.