Tempo
|

Vaticano não tem conhecimento de investigação a D. Carlos Azevedo

22 fev, 2013 • Ângela Roque, em Roma

Bispo português é acusado de assédio sexual. Queixa foi apresentada em 2010 por um padre, junto da Nunciatura Apostólica em Lisboa.

Vaticano não tem conhecimento de investigação a D. Carlos Azevedo
O porta-voz do Vaticano não tem conhecimento de qualquer investigação a D. Carlos Azevedo. A informação foi avançada, em Roma, pelo padre Federico Lombardi.

Segundo a revista “Visão”, o bispo português é acusado de ter cometido assédio sexual na década de 80, numa queixa apresentada, por um padre, em 2010 junto da Nunciatura Apostólica em Lisboa.

Frederico Lombardi sublinha que, quando D. Carlos Azevedo foi enviado para Roma, em 2011, a integridade da conduta do bispo nunca foi posta em causa por qualquer instituição. 

O padre Lombardi sublinha ainda que D. Carlos Azevedo tem desempenhado muito bem as suas funções. “Desempenha muito bem as suas funções no Conselho Pontifício da Cultura, desconheço que exista qualquer processo em relação a ele. Por isso nós consideramo-lo com total respeito e dignidade. Estou convencido que os seus superiores que o chamaram a esta tarefa tenham total confiança nele”, aponta o porta-voz do Vaticano.

“Recordo que este é um tempo em que há muito este tipo de ataques, de crítica, de confusões, e nós devemos vivê-lo com grande serenidade, com grande respeito no confronto com as pessoas, com grande empenho para que a igreja possa viver com serenidade este tempo tão importante”, acrescentou ainda Federico Lombardi, em declarações registadas em Roma pela Renascença.