Tempo
|

D. Nuno Brás

“A Igreja é constituída por pecadores”

20 fev, 2013

Bispo auxiliar de Lisboa comenta notícia da “Visão” sobre D. Carlos Azevedo.

“A Igreja é constituída por pecadores”

D. Nuno Brás, bispo auxiliar de Lisboa, considera que, perante notícias como a da “Visão”, que dá conta de queixas de alegado assédio sexual por parte de D. Carlos Azevedo, é importante rezar pela santidade dos pastores e não pôr em causa o celibato eclesiástico.

“A Igreja é constituída por pecadores, os pastores da Igreja são pecadores, uns mais do que outros, obviamente. É importante rezar pela santidade dos pastores da Igreja, é importante que este caso não ponha em causa aquilo que é o próprio celibato eclesiástico”, disse D. Nuno Brás no habitual espaço da Renascença que, às quartas-feiras, debate a actualidade cristã.

Sem comentar o caso em concreto, D. Nuno Brás reconhece que esta notícia, pelo seu timing, “pode trazer influências no próprio conclave”, uma vez que enquanto se trata de um membro da Cúria Romana. Actualmente, D. Carlos Azevedo faz parte do Conselho Pontifício da Cultura da Santa Sé, onde trabalha directamente com o cardeal Ravasi.

“Assim como antes as grandes potências europeias e mundiais tinham direito de veto no conclave e procuravam por todos os modos e politicamente influenciar o conclave, assim agora também há estas tentativas de influenciar o conclave”, afirma o bispo auxiliar de Lisboa, que deixa um apelo: “É importante que nós, cristãos, não nos deixemos, influenciar.”

O bispo D. Carlos Azevedo é alvo de uma denúncia de assédio sexual a membros da Igreja feita por um padre junto da Nunciatura Apostólica. Esta suspeita é noticiada na edição da "Visão" que vai para as bancas esta quinta-feira. Em resposta à revista, D. Carlos Azevedo diz desconhecer qualquer processo e garante que a Nunciatura Apostólica nunca falou consigo sobre este assunto.