Tempo
|
Autárquicas 2021
35,64%
139Câmaras
13,9%
69Câmaras
11,62%
29Câmaras
7,74%
18Câmaras
5,76%
18Câmaras
4,04%
0Câmaras
2,53%
0Câmaras
1,55%
5Câmaras
1,12%
0Câmaras
11,94%
9Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3037 de 3092
  • Abstenção: 45,72%
  • Votos Nulos: 1,61%
  • Votos em Branco: 2,52%

Nomeado novo presidente do Banco do Vaticano

15 fev, 2013

Tedeschi substituído por alemão à frente de uma instituição financeira que está a tentar melhorar a sua imagem.

O Vaticano anunciou hoje a nomeação do novo presidente do Conselho de Supervisão do Instituto para as Obras Religiosas, conhecido como Banco do Vaticano.

O alemão Ernst von Freyberg é formado em direito, mas tem larga experiência no mundo financeiro bem como um historial de militância em várias organizações católicas, incluindo a Ordem de Malta.

Casado e com filhos, Ernst von Freyberg foi escolhido pelo Vaticano para supervisionar o Banco do Vaticano que tem estado a esforçar-se para melhorar a sua imagem e cumprir com objectivos de transparência financeira ao longo dos últimos anos.

O Vaticano informa que o Santo Padre esteve sempre a par do processo de selecção e que manifestou total concordância com o nome escolhido.

Em conferência de imprensa o director da sala de imprensa da Santa Sé, o padre Federico Lombardi, manifestou a confiança de que esta nomeação seja vista como mais um sinal do compromisso do Vaticano para com a transparência financeira: “Parece-me ser um sinal da vontade de rigor e de objectividade, competência e transparência que a Santa Sé está empenhada em dar, também por causa de tudo o que se refere aos acontecimentos e problemas de carácter económico e administrativo referentes à legalidade e às normas internacionais para o controlo de tudo o que é necessário para combater, até ao fim, todos os aspectos de ilegalidade e criminalidade no mundo económico e financeiro”.

O alemão Freyberg substitui o antigo presidente Ettore Gotti Tedeschi, cujo apelido significa alemães, em italiano, que abandonou o cargo em Maio de 2012, sob acusações de comportamento errático e de más decisões financeiras.

Um conclave real e não virtual
O padre Federico Lombardi pediu ainda aos jornalistas presentes em Roma que ajudem a que o período de "sede vacante", quando a Igreja está sem Papa, e de conclave, sejam transmitidos ao mundo com fidelidade e não de uma forma virtual.

“Procuremos fazer de modo a que nós, os media, façamos uma Sede Vacante e um Conclave dos media próximo da realidade e de um modo como a Igreja efectivamente vive. Com critério e com a perspectiva certa sobre o modo como os problemas são vividos na prática”, afirmou.