Tempo
|

Conclave para eleger o novo Papa pode começar entre 15 e 20 de Março

13 fev, 2013

Salvo qualquer imprevisto, 117 cardeais eleitores vão tomar parte no conclave para escolher o sucessor de Bento XVI, sete dos quais são lusófonos.

Conclave para eleger o novo Papa pode começar entre 15 e 20 de Março
O conclave que vai eleger o sucessor de Bento XVI pode reunir-se em Roma logo a partir de 15 de Março e tem de começar até ao dia 20, conforme as regras existentes que regulam estes assuntos.

Em conferência de imprensa, o director da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, recordou esta quarta-feira que as regras estipulam que o conclave se pode reunir apenas 15 dias depois da declaração do fim do pontificado, podendo ser adiado mais cinco dias em caso de necessidade. Actualmente, porém, não existe qualquer data marcada, uma vez que essa é uma competência das congregações de cardeais que reúnem mal acaba o pontificado.

Contudo, os prazos existentes foram feitos com base no pressuposto da morte do Papa, um facto imprevisível e que poderia levar a complicações na marcação de viagens para chegar a Roma por parte dos cardeais. Uma vez que a data do fim do pontificado já é conhecida com vários dias de antecedência, e como não há cerimónias fúnebres para observar, põe-se a possibilidade de se antecipar a data do conclave. Tal só pode ser feito por ordem do Papa e, até ao momento, não há qualquer indicação nesse sentido.

Quando começar o conclave, todos os cardeais eleitores entram em modo de isolamento. Neste momento existem 118 cardeais eleitores, mas um deles completa 80 anos dois dias antes do fim do pontificado de Bento XVI, pelo que não pode participar.

Há mais dois que fazem 80 anos muito poucos dias depois, como o Cardeal alemão Walter Kasper e o italiano Severino Poletto, no dia 5 e 18 de Março, respectivamente. Segundo as regras elaboradas por João Paulo II, só perde o direito ao voto quem completa 80 anos até ao dia antes do começo da "sede vacante", termo usado para designar o estado da Igreja sem um Papa em funções.

O mais velho dos cardeais eleitores será então precisamente Walter Kasper e o mais novo será o líder da Igreja Síro-Malankara, uma Igreja oriental sediada na Índia em comunhão com Roma - o arcebispo-maior Baselios tem actualmente 53 anos.

Portugal tem dois cardeais que podem participar no Conclave. O Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, e o Cardeal D. Manuel Monteiro de Castro. Mas há mais cinco cardeais que têm o Português por língua materna, todos eles brasileiros.

O país com mais cardeais é, sem grande surpresa, Itália, que terá 28 eleitores. Mais nenhum país chega sequer perto deste número - o seguinte com mais cardeais-eleitores é os Estados Unidos, com 11.

Do ponto de vista de continentes, a Europa leva também uma vantagem enorme, com 62. Da América Latina são 19, da América do Norte 14 e de África 11, número idêntico ao da Ásia. A Oceania, com apenas um, surge em último lugar.