Tempo
|

Mais dúvidas do que certezas quanto ao futuro do Papa

13 fev, 2013

Director da Sala de Imprensa da Santa Sé admite que há muitos detalhes que ainda vão ter de ser resolvidos até ao dia em que o Papa resigna.

Mais dúvidas do que certezas quanto ao futuro do Papa
Há ainda muitas dúvidas quanto aos detalhes que rodeiam a resignação do Papa. Uma das mais frequentes é saber como será tratado Bento XVI depois de abdicar. "Papa emérito" ou "bispo de Roma emérito", a verdade é que nada está definido, explica o director da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Segundo o padre Lombardi, também há factores jurídicos em jogo, que terão de ser resolvidos até ao momento da renúncia. O que já é certo é que Bento XVI vai estar na audiência-geral de 27 de Fevereiro, um dia antes da resignação. A audiência vai decorrer na Praça de São Pedro para possibilitar a participação de mais fiéis e serve de despedida informal.

No dia seguinte, o Papa despede-se dos cardeais às 11h00 de Roma e, às 17h00, parte para Castelgandolfo. Três horas mais tarde, chega ao fim o seu pontificado.

Outros detalhes que obrigatoriamente acompanham o fim de um pontificado estão ainda por esclarecer. Normalmente, por exemplo, o anel papal é destruído, mas o padre Lombardi não soube precisar também como se vai processar esse facto.

Perante a pergunta de uma jornalista sobre se não seria incómodo para o próximo Papa ter Bento XVI a residir tão perto, o director da Sala de Imprensa considerou que não e que, pelo contrário, poderia até ser uma ajuda para quem vier a ser escolhido no próximo conclave.

A propósito do conclave, Lombardi recordou que as regras estipulam que este se pode reunir apenas 15 dias depois da declaração do fim do pontificado, podendo ser adiado mais cinco dias em caso de necessidade. Esses prazos significam que o conclave deve começar no dia 15 de Março, embora esta data ainda não esteja confirmada.

Os prazos existentes foram feitos com base no pressuposto da morte do Papa, um facto imprevisível e que poderia levar a complicações na marcação de viagens para chegar a Roma por parte dos cardeais. Uma vez que a data do fim do pontificado já é conhecida com vários dias de antecedência, e como não há cerimónias fúnebres para observar, põe-se a possibilidade de se antecipar a data do conclave. Tal só pode ser feito por ordem do Papa e, até ao momento, não há qualquer indicação nesse sentido.


Não perca o documentário Do amor à verdade, sobre o pontificado de Bento XVI, disponível no site da Renascença.