Tempo
|

Papa estende a mão a ortodoxos e judeus na audiência geral

13 fev, 2013

O Papa falou da importância de uma fé comprometida e pessoal, dizendo que não basta crescer numa família ou num meio religioso.

Papa estende a mão a ortodoxos e judeus na audiência geral
A primeira audiência geral de Bento XVI depois de ter anunciado a sua resignação serviu para fazer uma catequese sobre a fé num mundo secularizado, mas foi também uma oportunidade para lançar pontes de diálogo ecuménico e inter-religioso.

Durante a sua catequese o Papa deu três exemplos de conversão de pessoas que, inicialmente, vinham de ambientes indiferentes ou hostis à religião. Bento XVI falou de Dorothy Day, uma americana que no início da vida adulta tentou refugiar-se absolutamente no activismo político, de tendência marxista e materialista. Mas, mais tarde, Dorothy acabou por descobrir a Igreja e dedicou-se inteiramente a ela, por via do serviço aos pobres.

A sua causa de canonização está a decorrer e, se avançar, tornar-se-á provavelmente a primeira santa a reconhecer ter praticado um aborto, antes da sua conversão.

Mas o Papa não falou apenas de figuras católicas. Também o monge ortodoxo russo Pavel Florensky foi referido. Florensky, que era cientista, rejeitou totalmente a educação cristã que teve na sua infância, até que chegou a um ponto em que teve de reconhecer que não era possível viver sem Deus.

Pelo meio Bento XVI referiu-se ainda a Etty Hillesum, uma judia holandesa que morreu em Auschwitz e que apesar de não vir de uma família religiosa, nem se mover num meio religioso, passou por um processo de total conversão, apaixonando-se completamente por Jesus ao ponto de recusar a oferta de amigos que a queriam ajudar a fugir e de se ter oferecido para ir para os campos de concentração para estar próxima dos que lá estavam aprisionados.

Durante a sua catequese, o Papa referiu que na sociedade actual não basta ter nascido numa família cristã para se ter fé, é preciso aprofundar e comprometer-se pessoalmente com Deus para que essa fé ganhe sentido.


Não perca o documentário
 Do Amor à Verdade, sobre o pontificado de Bento XVI, disponível no site da Renascença.