Tempo
|

D. Nuno Brás

“Cristãos não podem deixar de estar nas redes sociais”

24 jan, 2013 • Ângela Roque

Bispo auxiliar de Lisboa considera que marcar presença nas redes sociais é hoje fundamental, porque esse é um novo espaço de evangelização.

“Cristãos não podem deixar de estar nas redes sociais”

O bispo auxiliar de Lisboa diz que a Igreja tem sabido acompanhar a evolução dos media e está atenta aos desafios da internet. O tema esteve em debate, esta quarta-feira, na Renascença, na véspera do Papa divulgar a sua mensagem para o Dia das Comunicações Sociais.

Para D. Nuno Brás, marcar presença nas redes sociais é hoje fundamental, porque esse é um novo espaço de evangelização: "as redes sociais são uma realidade que molda a vida contemporânea e, portanto, os cristãos não podem deixar de estar aí, a testemunharem o Evangelho". O Papa já deu o exemplo, ao aderir ao twitter.

Sobre o papel dos media católicos no mundo de hoje, D. Nuno Brás considerou fundamental a Igreja continuar a ter meios de comunicação como a Renascença: "meios de comunicação social católicos onde a igreja seja livre de dizer aquilo que pensa sobre o mundo e seja livre de anunciar o Evangelho". Mas, considera igualmente essencial que os  jornalistas que são cristãos "não se demitam" das suas convicções, independentemente do local onde trabalham.

Aura Miguel, jornalista vaticanista há mais de 25 anos, lembrou que os meios de comunicação social católicos "ajudam a fornecer critérios de discernimento à luz da fé". No caso da Renascença houve uma aposta clara , em termos editoriais, no acompanhamento do Papa.

A relação da Igreja com os media foi um dos temas em debate, a propósito da mensagem para o Dia das Comunicações Sociais que o Papa vai divulgar esta quinta-feira. "Redes Sociais: portais de verdade e de fé, novos espaços de evangelização" é o tema da mensagem que será conhecida, como habitualmente, a 24 de Janeiro, dia de S. Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas.