Tempo
|

Quase uma centena de tibetanos já se imolou pelo fogo

23 jan, 2013

Um jovem pai de família, com 26 anos, tornou-se a mais recente vítima de auto-imolação a dar a vida pela liberdade do Tibete e o regresso do Dalai Lama.

Quase uma centena de tibetanos já se imolou pelo fogo
Kunchok Kyab morreu hoje depois de se ter imolado pelo fogo, gritando palavras de ordem contra a ocupação chinesa do Tibete e pelo regresso do Dalai Lama. É a 98ª vítima confirmada deste tipo de protesto desde Março de 2009, a maioria dos envolvidos acabou também por falecer.

O jovem pai de família tinha apenas 26 anos. O seu corpo foi levado pelas autoridades, como tem sido hábito nestes casos, para dissuadir concentrações de pessoas, mas a população está a exigir o regresso dos seus restos mortais, ameaçando protestar à porta da esquadra local.

Entretanto, também no Tibete, um tribunal condenou quatro monges do mosteiro de Kirti, um dos epicentros dos protestos contra o regime, por envolvimento nesta onda de auto-imolações.

Os quatro religiosos foram condenados a penas de prisão entre os 2 e os 10 anos.

A China tem tido muita dificuldade em suprimir esta forma de protesto. As patrulhas policiais começaram a andar munidas de extintores e as autoridades têm tentado culpar o Dalai Lama de incentivar as auto-imolações.