Tempo
|

Peregrinar ao Cristo-Rei pode dar indulgência plenária

22 jan, 2013 • Ecclesia

Decreto do Papa premeia “esforço” para que local não seja visto “como um belo miradouro para Lisboa”, diz reitor.  

Peregrinar ao Cristo-Rei pode dar indulgência plenária
O Papa concedeu a Indulgência Plenária Perpétua ao Santuário de Cristo-Rei, na Diocese de Setúbal, conhecido pela imagem de Jesus de braços abertos que domina o rio Tejo junto a Lisboa.

O reitor do santuário disse hoje à Agência Ecclesia que o documento é “bastante importante” por se tratar do “reconhecimento, por parte da Santa Sé, do esforço que tem sido feito nos últimos anos” para que o local “não seja visto, nem pelas pessoas em geral nem pela Igreja em particular, como um belo miradouro para Lisboa”.

Com esta declaração o santuário “torna-se mais fiel ao seu próprio espírito e carisma fundacional, que é ser um centro de oração e reparação [dos males causados pelos pecados]”, frisou o padre Sezinando Alberto, acrescentando que a Indulgência “vai com certeza ajudar os peregrinos a crescerem espiritualmente”.

“Para aqueles que são crentes, a Indulgência Plenária Perpétua permite-lhes saber que podem sentir mais de perto a misericórdia de Deus para a sua alma”, enquanto “para quem não é muito praticante mas procura Deus” a atribuição contribui para que “tome consciência” de que o santuário “está envolvido num mistério onde se vive e consegue realmente transmitir a paz interior aos corações que andam atribulados”, afirmou.

Uma indulgência, plenária ou parcial, livra o penitente da pena associada ao seu pecado, algo que não se consegue através da simples confissão, que apenas o livra da culpa.

O responsável considera que o decreto “não interessa nada” a quem se desloca ao santuário “como mero turista e está pouco interessado nas questões espirituais”: “É a mesma coisa que em Fátima; é indiferente a quem lá vai motivado por curiosidade turística que Nossa Senhora tenha aparecido ou não”.

O cardeal português Monteiro de Castro, penitenciário-mor da Igreja, entregou esta segunda-feira o decreto ao bispo de Setúbal, D. Gilberto Reis, na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma.

“É uma grande graça esta que agora nos é concedida, a de poder ter em permanência um lugar onde a misericórdia de Deus se estende a todos os que, de coração contrito e convertido, se voltam para o Senhor”, lê-se na página da diocese setubalense na rede social Facebook.

De acordo com o Direito Canónico, para alcançar a indulgência, que pode ser parcial ou plenária conforme liberta parcial ou totalmente da sanção devida pelos pecados, requer-se, além da exclusão de qualquer afecto ao pecado, o cumprimento da obra prescrita pela Igreja, os sacramentos da Reconciliação (confissão) e da Eucaristia, bem como a oração pelas intenções do Papa.

A entrega do decreto sobre o Santuário de Cristo-Rei foi um dos últimos actos da peregrinação que a diocese setubalense organizou a Roma entre sexta e segunda-feira.