Tempo
|

Papa deixa apelo à unidade dos cristãos

16 jan, 2013 • Ecclesia

Bento XVI antecipa início de oitavário ecuménico de oração.  

Papa deixa apelo à unidade dos cristãos
Papa deixa apelo à unidade dos cristãos
Na audiência geral desta quarta-feira, no Vaticano, o Papa Bento XVI antecipou início de oitavário ecuménico de oração, deixando um apelo à unidade dos cristãos.
Bento XVI apelou hoje no Vaticano à unidade dos cristãos, antecipando o início da semana ecuménica de oração, entre os dias 18 e 25 deste mês, dedicada a esta causa.

“Convido todos a rezar, pedindo a Deus com insistência o grande dom da unidade entre todos os discípulos do Senhor. A força inexaurível do Espírito Santo nos estimule para um compromisso sincero de busca da unidade, para que todos juntos possamos professar que Jesus é o salvador do mundo”, disse, durante a audiência pública desta semana.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos tem este ano como tema "O que exige Deus de nós", expressão inspirada numa passagem bíblica, do profeta Miqueias (Mi 6, 6-8).

O texto original do material do oitavário de 2013 foi preparado pelo Movimento de Estudantes Cristãos da Índia (SCMI – Student Christian Movement of India), com a consultoria da Federação de Universidade Católica de toda a Índia (AICUF) e do Conselho Nacional de Igrejas na Índia (NCCI).

“No processo de preparação, enquanto se reflectia sobre o significado da Semana de Oração, ficou decidido que, num contexto de grande injustiça em relação aos dalits (párias) na Índia e na Igreja, a busca pela unidade visível não pode estar dissociada do desmantelamento do sistema de castas e do apelo às contribuições para a unidade dos mais pobres entre os pobres”, assinala a introdução publicada na página do Vaticano.

A comunidade católica integra hoje perto de 1200 milhões de fiéis; a segunda Igreja mais representativa, a comunhão ortodoxa bizantina, atinge os 250 milhões.

As principais divisões entre as Igrejas cristãs ocorreram no século V, depois dos Concílios de Éfeso e de Calcedónia (Igreja copta, do Egipto e arménia entre outras); no século XI com a cisão entre o Ocidente e o Oriente (Igrejas ortodoxas); no século XVI, com a Reforma Protestante e, posteriormente, a separação da Igreja de Inglaterra.

Luteranos (75 milhões), calvinistas/presbiterianos (80 milhões) e anglicanos (77 milhões) são as principais comunidades das chamadas ‘Igrejas tradicionais’ provenientes da Reforma, a que se juntam 60 milhões que se encontram ligadas ao metodismo.