Tempo
|

Televisões e parabólicas são o “novo inimigo” de Pequim

28 dez, 2012

A China já tentou culpar o Dalai Lama e mesmo o Budismo pela onda de auto-imolações. As regiões onde ocorrem mais casos estão vedadas a turistas e os soldados e polícias andam munidos de extintores.

O Governo comunista chinês confiscou antenas parabólicas e aparelhos de televisão de mais de 300 mosteiros budistas no Tibete, informa a agência AsiaNews. Esta é a mais recente medida da China para tentar acabar com a onda de auto-imolações que se têm registado na região.

As autoridades acreditam que a divulgação de notícias sobre as mortes por auto-imolação têm um efeito contagiante.

As primeiras imolações começaram em Março de 2011 e até ao momento confirmaram-se quase 100 casos. As autoridades chinesas já tentaram culpar o Dalai Lama e mesmo o Budismo.

As regiões onde ocorrem mais casos estão vedadas a turistas e os soldados e polícias andam munidos de extintores.

Os tibetanos que se imolam pelo fogo têm gritado frases de apoio ao Dalai Lama e à liberdade no Tibete.

As antenas parabólicas são agora vistas como um alvo a abater uma vez que através delas milhares de tibetanos têm acesso a canais de televisão transmitidos a partir da diáspora tibetana, que veicula informação “anti-chinesa”, para usar a expressão invocada por uma agência noticiosa de Pequim.