Tempo
|

Ordem Hospitaleira garante colaboração com a justiça no caso de abusos sexuais

21 dez, 2012

Comunicado refere um caso anterior, já arquivado, que partiu de denúncia anónima com conteúdo "falso e calunioso".

A Ordem Hospitaleira de São João de Deus garante que toda a colaboração será prestada às autoridades, no âmbito dos inquéritos abertos pela Procuradoria-Geral da República, ontem. 

Em comunicado enviado à Renascença, esta ordem religiosa garante que tem regras e procedimentos absolutamente claros e transparentes.

A ordem afirma ainda que a investigação a que se refere o Ministério Público tem por base e-mails anónimos, com conteúdo falso e calunioso e recorda que a própria ordem tomou iniciativa, no passado, de pedir às autoridades a investigação de suspeitas, em Ponta Delgada, num processo que acabou por ser arquivado pela inexistência de indícios de crime.

Este comunicado segue-se à decisão da procuradoria-geral de abrir três inquéritos por eventual prática de crimes de abuso sexual de incapazes e de pessoa internada, e de crimes patrimoniais e de natureza fiscal, alegadamente ocorridos em instituições da ordem hospitaleira de S. João de Deus.

O comunicado da Ordem Hospitaleira pode ser lida aqui na íntegra

Pode consultar AQUI um "dossier" elaborado pela Renascença sobre pedofilia, que inclui a posição do Vaticano.