Tempo
|

Papa aceita resignação do Patriarca dos Caldeus

19 dez, 2012 • Filipe d’Avillez

Emanuel III Delly tem 85 anos. Foi entronizado em 2003, pouco depois da invasão do Iraque e guiou a maior comunidade cristã daquele país por tempos muito difíceis.  

O Vaticano anunciou hoje que aceitou a resignação do Patriarca da Igreja Católica Caldeia, Cardeal Emanuel III Delly.

Emanuel III, cujo título completo é Patriarca da Babilónia dos Caldeus, foi entronizado em Dezembro de 2003, no ano em que o Iraque foi invadido por forças americanas.

Com a queda do regime de Saddam Hussein começaram tempos muito difíceis para os cristãos iraquianos, a maioria dos quais são católicos da Igreja caldeia. A quebra de segurança e o facto de os cristãos não terem milícias próprias nem influência política levaram a um grande aumento de perseguição. Milhares de cristãos morreram e estima-se que cerca de metade possa ter fugido do país.

O Patriarca sempre lutou pela paz no seu país e tentou encorajar os seus fiéis a permanecer na sua terra ancestral.

As leis que governam as igrejas católicas orientais não requerem que um Patriarca renuncie ao seu cargo por limite de idade, mas Emanuel Delly, que tem 85 anos, terá concluído que já não reunia condições para liderar a sua Igreja. O comunicado do Vaticano não invoca qualquer razão para a decisão.

No mesmo comunicado o Papa convoca para Janeiro um sínodo da Igreja caldeia e indica que até à eleição de um sucessor a Igreja ficará ao cuidado do actual bispo da cúria patriarcal, Monsenhor Jacques Ishaq.

A Igreja Caldeia é uma de cerca de vinte Igrejas católicas de rito oriental, que se governam segundo as suas próprias regras, mas que estão em plena comunhão com Roma.