Tempo
|

Bento XVI diz que “a oração dos idosos protege o mundo”

12 nov, 2012

“A qualidade de uma civilização julga-se no modo como os idosos são tratados e pelo lugar que lhes é reservado na vida comum”, explica o Papa.

Bento XVI diz que “a oração dos idosos protege o mundo”

O Papa visitou, hoje, um centro de acolhimento de idosos em Roma e aproveitou para dar alento aos que, como ele, já estão no Outono da vida.

Para Bento XVI;  esta fase da vida é bela e nunca deve dar lugar à tristeza: “É belo ser idoso! Em cada idade, é preciso descobrir a presença e a bênção do Senhor e as riquezas que contém.

Nunca nos devemos entregar à tristeza. Recebemos o dom de uma vida longa. Viver é belo, mesmo na nossa idade, apesar de alguns achaques e limitações. Que no nosso rosto haja sempre a alegria de nos sentirmos amados por Deus e nunca a tristeza”. 

O Papa sublinhou a ideia de que o facto de os idosos serem menosprezados pela sociedade é um sinal de doença desta e não de qualquer problema da parte dos mais velhos: “A sociedade, dominada pela lógica da eficácia e do lucro, não acolhe os idosos como tal e até os afasta, considerando-os como mão produtivos e inúteis. Penso que se devia agir com maior empenho, a começar pelas famílias e instituições públicas, de modo a que os idosos possam permanecer nas próprias casas. A sabedoria de vida de que são portadores é uma grande riqueza”.

“A qualidade de uma sociedade, quero dizer, de uma civilização, julga-se também no modo como os idosos são tratados e pelo lugar que lhes é reservado na vida comum, Quem dá espaço aos idosos, dá espaço à vida. Quem acolhe os idosos, acolhe a vida”, insistiu.

Aos 85 anos, o Papa falou com os idosos de igual para igual, apresentando-se como bispo de Roma, e lembrou  o exemplo do seu antecessor: “O exemplo do Beato João Paulo II foi e continua a ser iluminador para todos. Não esqueçam que, entre os recursos preciosos que tendes, está o da oração, que é essencial: tornem-se intercessores junto de Deus, rezando com fé e constância”.

“Rezem pela Igreja e também por mim, pelas necessidades do mundo, pelos pobres, para que no mundo não haja mais violência”, apelou, ainda, o Papa, sublinhando, a seguir, a sua convicção de que a oração dos idosos protege mais o mundo do que tantas outras iniciativas humanas pensadas com esse propósito: “A oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o, talvez, de modo mais incisivo do que as iniciativas de tantos. Quero confiar hoje à vossa oração o bem da Igreja e a paz do mundo”.