Tempo
|

Bento XVI no Líbano

“É necessário celebrar a vitória do amor sobre o ódio”

14 set, 2012 • Aura Miguel, em Harissa

No seu discurso, o Santo Padre diz que esta exortação do sínodo  pretende traçar um caminho mesmo num contexto difícil e lança um desafio aos cristãos.

“É necessário celebrar a vitória do amor sobre o ódio”
“É necessário celebrar a vitória do amor sobre o ódio”
Bento XVI assinou esta sexta-feira a exortação apostólica pós-sinodal "Ecclesia in Medio Oriente", um documento com as conclusões do Sínodo dos Bispos de 2010. Admitindo o contexto difícil dos cristãos no Médio Oriente, o Papa apelou a que os cristãos "não tenham medo", porque "a Igreja Universal os acompanha com a sua solidariedade humana e espiritual".

Bento XVI visitou a Basílica de São Paulo, em Harissa, esta sexta-feira, no Líbano. Um dos pontos altos nesta cerimónia foi a assinatura do documento final do sínodo para o Médio Oriente, realizado em 2010.

O Papa diz que este documento permite repensar o presente para considerar o futuro, sempre com o olhar de Cristo. No seu discurso, o Santo Padre diz que esta exortação do sínodo  pretende traçar um caminho mesmo num contexto difícil e lança um desafio aos cristãos.

“O seguimento de Cristo, num contexto difícil e por vezes doloroso, que poderia fazer surgir a tentação de ignorar ou esquecer a cruz gloriosa. Mas é precisamente então que é necessário celebrar a vitória do amor sobre o ódio, do perdão sobre a vingança, do serviço sobre a prepotência, da humildade sobre o orgulho, da unidade sobre a divisão.”

“À luz da festa de hoje e tendo em vista uma aplicação frutuosa da exortação, convido todos a que não tenham medo, permaneçam na verdade e a cultivem a pureza da fé.”

Bento XVI traçou ainda um retrato dos Cristãos no Médio Oriente. “Debruçando-se sobre a situação actual das Igrejas no Médio Oriente, os padres sinodais puderam reflectir sobre as alegrias e as penas, os temores e as esperanças dos discípulos de cristo que vivem nestes lugares.”

“Deste modo, toda a Igreja pôde ouvir o grito ansioso e notar o olhar desesperado de tantos homens e mulheres que se encontram em situações humana e materialmente árduas, vivendo no medo e inquietação pelas fortes tensões, e que desejam seguir cristo – aquele que dá sentido à sua vida – mas frequentemente encontram-se impedidos”.

Declarações do Papa, esta tarde, na Basílica de São Paulo, em Harissa, uma das cerimónias na sua visita ao Líbano.