Tempo
|

Ordenados primeiros diáconos permanentes da diocese de Viseu

22 jul, 2012 • Liliana Carona

D. Ilídio Leandro, Bispo de Viseu, explica que os novos diáconos vão "trabalhar naqueles espaços para os quais o padre já não tem tempo".

Ordenados primeiros diáconos permanentes da diocese de Viseu

Os primeiros dez diáconos permanentes da diocese de Viseu foram ordenados, este domingo, na Sé Catedral da cidade. Os novos membros do ministério do diaconado podem vir no futuro a assumir paróquias.

Os diáconos foram chamados um a um e, “segundo o testemunho do povo cristão e o parecer dos responsáveis que o representam, foram considerados dignos” para desempenhar o ofício.

Felisberto Figueiredo, de 62 anos, um dos diáconos permanentes da diocese de Viseu, considera que “isto é um privilégio de Deus para cada um nós”.

“É um momento de concretização de um chamamento que se sente e, quem é chamado, é chamado por amor”, sublinha.

Isolinda Figueiredo, passou a cerimónia de olhos postos no marido. Não esconde o orgulho: “Estou muito contente mesmo, orgulhosa, porque faço conta de colaborar muito de perto com ele no que for possível”.

D. Ilídio Leandro, Bispo de Viseu, salientou a responsabilidade que acaba de cair sobre os ombros destes dez diáconos.

“Numa proximidade muito pequena, não aconteça que algumas paróquias tenham de ser entregues ou confiadas a diáconos permanentes. Neste momento, os diáconos permanentes vêm colaborar com os padres, com os presbíteros, e vêm sobretudo trabalhar naqueles espaços para os quais o padre já não tem tempo.”