Tempo
|

Escolhida nova reitora para a Universidade Católica

17 jul, 2012 • Ecclesia

Actual directora da Faculdade de Direito, Maria da Glória Garcia, foi seleccionada pelo Patriarca de Lisboa, que já comunicou a decisão à Santa Sé.

Escolhida nova reitora para a Universidade Católica
A jurista Maria da Glória Garcia foi escolhida para o cargo de reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), anunciou esta terça-feira a instituição.

O nome da professora catedrática da Faculdade de Direito, antiga vice-reitora da UCP e actualmente directora da referida Faculdade, foi apresentado à Congregação para a Educação Católica (Santa Sé) para aprovação.

Maria da Glória Garcia deve assim suceder a Manuel Braga da Cruz, que termina este ano o seu terceiro mandato como reitor da UCP.

A escolha foi feita pelo magno chanceler da Universidade Católica, D. José Policarpo, cardeal patriarca de Lisboa, após ter ouvido o conselho superior da instituição académica e a Conferência Episcopal Portuguesa.

Maria da Glória Ferreira Pinto Dias Garcia, nascida a 6 de Novembro de 1953, licenciou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e prestou provas de mestrado e de doutoramento na Faculdade de Direito da UCP.

A jurista, agraciada com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique em 1995, é membro fundador da Societas Iuris Publici Europaei (SIPE), constituída em Frankfurt, em 2004. É ainda académica correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Internacional da Cultura Portuguesa.

Em 2009, foi a candidata apoiada pelo PSD para o cargo de provedor de Justiça, que viria a ser ocupado por Alfredo José de Sousa.

O reitor da UCP tem a responsabilidade da gestão académica e administrativa da Universidade, com sede em Lisboa e pólos regionais nas Beiras, Braga e Porto. Os vice-reitores são nomeados pelo magno chanceler, sob proposta do reitor.

A UCP, criada em 1967, é reconhecida pelo Estado como instituição universitária livre, autónoma e de utilidade pública.

A Concordata entre a Santa Sé e a República Portuguesa assinada em 2004 afirma no seu artigo 21.º a “especificidade institucional” da Universidade Católica.

Na mensagem para o Dia Nacional da UCP de 2012, o reitor cessante sublinhava que os 45 anos da instituição devem levá-la a responder a “novos desafios”, em particular face à “profunda crise” do país.