Tempo
|

Ex-autarca colombiano atribui cura de Parkinson a João Paulo II

16 jul, 2012

Cura de Marco Fidel Rojas não tem explicação médica e já foi verificada. Santa Sé está a estudar o processo que pode levar à canonização do Papa polaco.

Ex-autarca colombiano atribui cura de Parkinson a João Paulo II
A cura inexplicável de um ex-autarca colombiano que sofria de Parkinson poderá ser o milagre que falta para declarar santo o Papa João Paulo II.

Marco Fidel Rojas foi presidente da Câmara da localidade de Tarqui, na Colômbia, e toda a vida adorou viajar. Numa das suas viagens a Roma conheceu João Paulo II.

Anos mais tarde, depois de ter sido diagnosticado com a doença de Parkinson, recordou esse encontro e, recorda, disse para si mesmo: “Tenho um amigo no Céu. Ainda por cima teve Parkinson também”, depois rezou: “Venerável João Paulo II, vem e cura-me, coloca as tuas mãos sobre a minha cabeça”.

Depois de uma noite de sono profundo, acordou na manhã seguinte sem tremores, consegui levantar-se da cama sem se apoiar na parede e sentia-se curado da sua doença. A cura foi analisada por médicos especialistas e dada como completa e inexplicável, dois factores importantes para o processo de canonização.

Agora o processo passa para o Vaticano que nomeará uma comissão de especialistas para ver atentamente todas as provas antes de tomar uma decisão formal. Caso seja positiva, a verificação de um segundo milagre poderá bastar para declarar a santidade de João Paulo II.

Um primeiro milagre já foi verificado, o que permitiu que o Papa fosse declarado beato. No caso a cura foi de uma freira francesa, Marie Simon-Pierre, que também sofria de Parkinson.