Tempo
|

Dezassete mil pessoas já foram ver exposição sobre o primeiro santo português

28 jun, 2012 • Liliana Carona

Por causa da grande afluência, a diocese de Viseu decidiu alargar as datas da exposição até 7 de Outubro. Vêm aí novas peças, algumas muito raras.  

A exposição do primeiro santo português, São Teotónio, está a atrair os olhares de muitos viseenses e turistas. A exposição já foi vista por 17 mil pessoas.

Fátima Eusébio, coordenadora do departamento dos bens culturais da diocese de Viseu, admite estar surpreendida com os números e considera que o objectivo foi cumprido.

“Se tivermos em conta que foi uma exposição que abriu a 16 de Fevereiro, uma época baixa no funcionamento dos museus, foi surpreendente o número de visitantes. O objectivo é dado como cumprido. Temos tido bom 'feedback': a nível da diocese e da cidade há já um conhecimento diferente em relação à figura de São Teotónio e à importância que ele teve no âmbito da Igreja e da história de Portugal”, diz Fátima Eusébio. 

Para os que já viram a exposição, mantém-se o interesse, até porque algumas peças vão ser substituídas. “Uns documentos vão sair, por uma razão de preservação - os do arquivo nacional da Torre do Tombo e os livros da Biblioteca Nacional - ,e vão ser substituídos por outros pergaminhos da época”, explica a coordenadora do departamento dos bens culturais da diocese de Viseu.

“Em relação aos livros da Biblioteca Nacional que se referem mais à devoção a São Teotónio, a substituição vai ser feita por uma peça muito interessante, que nunca foi exposta ao público, porque é de uma colecção particular. Trata-se de uma custódia-relicário, com uma relíquia de São Teotónio”, explica ainda Fátima Eusébio.

As peças podem ser vistas até dia 7 de Outubro no Museu Grão Vasco e na Sé Catedral de Viseu. A exposição assinala os 850 anos da morte de São Teotónio e os 900 anos do seu priorado.