Tempo
|

Bispos ibéricos tentam melhorar comunicação da Igreja

26 jun, 2012 • Paula Costa Dias

D. Pio Alves diz que não basta cuidar a mensagem, é preciso cuidar a qualidade do comunicador.  

Bispos ibéricos tentam melhorar comunicação da Igreja
Como fazer passar a mensagem da Igreja num tempo em que a prioridade dos meios de comunicação social é vender mais. A questão está em cima da mesa de bispos portugueses e espanhóis ligados à área da comunicação social que hoje e amanhã estão reunidos em Fátima.

A questão da comunicação é hoje de particular importância para a Igreja sobretudo com a proclamação do Ano da Fé pelo Papa Bento XVI.

A Igreja tem de melhorar a forma como comunica de modo a que os meios de comunicação social sejam portas de transmissão da fé, salienta o Bispo D. Pio Alves, Presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais: “Para poder comunicar bem não só faz falta cuidar a mensagem, como faz falta cuidar a qualidade do comunicador, concretamente a coerência do comunicador com aquilo que quer comunicar. Caso contrário as palavras soarão a vazio e por mais arte que se tenha, soará a falso”.

Numa altura em que a prioridade é captar mais leitores, ouvintes ou espectadores, a tarefa não é fácil. Por isso, há também que apostar nos veículos de transmissão: “Temos de saber comunicar usando os meios tradicionais, usando todos os meios que as novas tecnologias põem à nossa disposição. Vivemos no nosso tempo e a Igreja tem de saber estar no nosso tempo”, considera o bispo.

Este encontro conta com a presença dos membros das comissões episcopais de Portugal e Espanha, além de responsáveis pelos secretariados que as integram.