Tempo
|

Papa exprime solidariedade com vítimas de sismos

26 jun, 2012 • Filipe d’Avillez

Bento XVI viajou hoje de manhã para a região mais afectada pelo sismo de 20 de Maio e exortou os sobreviventes a reconstruir sobre a rocha da fé.  

Papa exprime solidariedade com vítimas de sismos
O Papa viajou hoje de helicóptero para a região de Emilia, na Itália, para mostrar a sua proximidade às vítimas e sobreviventes dos sismos que atingiram aquela região no dia 20 de Maio.

Bento XVI referiu que acompanhou de perto toda a situação e que já queria ter feito a viagem antes. Num discurso à população local o Papa referiu que na liturgia das horas de hoje reza-se um salmo que tem tudo a ver com esta realidade:

“Deus é o nosso refúgio e a nossa força, ajuda permanente nos momentos de angústia.
Por isso, não temos medo, mesmo que a terra trema, mesmo que as montanhas se afundem no mar.”

“Quantas vezes li estas palavras? Inúmeras vezes. Mas em certas ocasiões, como esta, elas ressoam, dando voz a uma experiência que estão a viver agora e que é partilhada por todos os que rezam”, disse Bento XVI.

O Papa sublinhou a atitude do salmista face às dificuldades da natureza, uma atitude fundada na rocha firme da fé, explicou: “Nesta rocha, nesta firme esperança, podeis reconstruir”, disse o Papa, referindo que embora os edifícios estivessem rachados, os corações dos seus ouvintes não estão.

Bento XVI realçou ainda o facto dos sobreviventes não estarem sós nas suas tribulações: “A situação que estão a viver trouxe à luz um aspecto que sei que está bem presente no vosso coração: Não estão, nem estarão sós! Nestes dias, no meio de tanta destruição e dor, têm visto e ouvido como tantas pessoas se mexeram para expressar a proximidade, solidariedade e carinho, isto através de tantos sinais e ajuda concreta. A minha presença no meio de vós é um destes sinais de amor e de esperança.”

“Ao olhar para a vossa terra senti uma profunda comoção por tantos feridos, mas vi também muitas mãos que querem ajudar a curar-vos. Vi também como a vida recomeça, como quer recomeçar com força e coragem, e este é o sinal mais belo e luminoso”, referiu ainda o Papa.