Tempo
|

Budistas chineses obrigam à expulsão de delegados tibetanos

20 jun, 2012

Antiga ordem budista da Coreia do Sul exige um pedido de desculpas oficial do Governo chinês e lamenta a decisão “embaraçosa” da Conferência Budista Mundial.

Budistas chineses obrigam à expulsão de delegados tibetanos
A Conferência Budista Mundial, que decorreu entre 11 e 16 de Junho em Yeosu, na Coreia, esteve envolto em polémica e levou uma das mais conceituadas e antigas ordens budistas do mundo, a Jogye, a exigir um pedido de desculpas ao Governo chinês.

Tudo começou quando apareceu na Conferência uma delegação representativa dos budistas tibetanos. Ao tomar conhecimento da sua presença a delegação chinesa, que conta com o apoio do Governo, retirou-se dos trabalhos e disse que apenas voltaria se os três delegados tibetanos se fossem embora.

Perante a exigência, a organização pediu aos tibetanos que abandonassem as sessões de trabalho, uma decisão que a ordem Jogye classifica como “embaraçosa”.

“Os delegados chineses colocaram a sua agenda política em primeiro lugar e faltaram ao respeito por um evento que é puramente religioso. Exigimos um pedido desculpas pelo sucedido e a promessa de que não voltará a acontecer”, referem os representantes da ordem sul-coreana.