Tempo
|

Santa Sé não aprova documento da cimeira do Rio

19 jun, 2012 • José Pedro Frazão, no Rio de Janeiro

Em fase de negociações finais, a Igreja diz que não é suficiente o compromisso relativo à preservação do planeta.

Santa Sé não aprova documento da cimeira do Rio
A Santa Sé não concorda com o documento que vai sair da cimeira do Rio, que amanhã começa no Brasil.

As negociações entraram já em tempo de descontos e, para já, a União Europeia emerge como o grande obstáculo ao fecho do Documento final da Conferência do Rio que será rubricado pelos chefes de Estado e de Governo de todo o mundo. Mas há outras vozes descontentes. A Santa Sé, que vai ter a partir de hoje o Bispo de São Paulo, como líder de delegação também não gosta de alguns pontos do Documento.

Entrevistado na última noite pela Renascença, o arcebispo do Rio de Janeiro, D. Orani João Tempesta explica a posição da Igreja face ao documento em negociação: “O que nos preocupa com este documento é que se vai decidir coisas importantes para o planeta e eles inserem coisas contra a vida, contra o matrimónio, não interessa muito a preocupação do futuro do planeta, como devia ser num documento assim.”

A recusa do documento não implica qualquer falta de compromisso com a causa da preservação da natureza, diz o arcebispo: “Creio que o documento em si não muda a preocupação da Igreja com a ecologia, a preocupação em ser cristão no meio desta sociedade. A Igreja do Brasil já realizou duas campanhas sobre a natureza, o planeta, a água, tivemos várias reflexões e vamos continuar.”

“Nós temos um caminho para trilhar. Se o documento nos ajudar, tudo bem, caso contrário continuaremos à procura dos caminhos que colocam o Ser Humano no centro da preocupação pela vida neste planeta”, conclui.

Esta terça-feira todas as dúvidas sobre o Documento final da Cimeira poderão ser desfeitas depois de uma madrugada de negociações sob coordenação do Brasil.