Tempo
|

Novo bispo-auxiliar para Braga

08 jun, 2012

D. António Moiteiro Ramos foi nomeado hoje por Bento XVI e escolhe por lema: “É preciso que Jesus reine”.

Novo bispo-auxiliar para Braga
O Papa nomeou hoje um novo bispo-auxiliar para a arquidiocese de Braga. D. Antonio Moiteiro Ramos era até agora pároco na cidade da Guarda.

Ouvido já pelo jornalista Domingos Pinto, o novo bispo-auxiliar de Braga reage à nomeação com esperança.

“Acolho a nomeação feita pelo Santo Padre com um espírito de fé, sabendo que a fé é a adesão à pessoa de Jesus Cristo vivo e ressuscitado, e é essa certeza da proclamação de Cristo vivo e ressuscitado que me leva a ser homem de esperança e por isso a acolher esta nomeação como um serviço feito na caridade ao povo de Deus, e concretamente em Braga como auxiliar do senhor arcebispo e em colaboração com todos os serviços da arquidiocese”.

Agora que se prepara para assumir maiores responsabilidades na Igreja, D. António Moiteiro Ramos mostra-se atento à crise, considerando que os portugueses não aguentam muitos mais sacrifícios: “Há muita gente, sobretudo casais novos, com muitas dificuldades. As pessoas ficam desempregadas e aquilo que lhes vai dando alguma esperança e alegria é o tecido familiar que ainda temos. Quem tem sido o grande motor de ajuda são as famílias que estão na retaguarda”, insiste.

Para o bispo, cuja ordenação terá lugar na Sé Catedral da Guarda, no dia 12 de Agosto à tarde, é preciso um novo paradigma para lidar com a crise: “A pessoa tem de ser colocada no centro, os mercados não podem ditar as leis de modo ditatorial. Penso que é preciso alargar os prazos para pagar a dívida, e é preciso ter em conta as pessoas”.

Enquanto pároco, o agora bispo teve contacto próximo com aqueles que são mais afectados. “Nas paróquias continuamente nos chegam pessoas a pedir trabalho, ajuda, orientação de vida. A Igreja está a responder dentro das suas limitações e possibilidades, penso que estamos a fazer bem”, considera.

D. António Moiteiro Ramos nasceu em 1956 e fez 56 anos em Maio e escolheu para lema episcopal a frase: “É preciso que Jesus reine”.

O novo bispo auxiliar de Braga tem 30 de sacerdócio. Natural da Aldeia de João Pires, no concelho de Penamacor, frequentou os seminários Diocesanos do Fundão e da Guarda e foi ordenado padre em 82. Passou por várias paróquias da Guarda, mas estava desde 2006 na da Sé e de São Vicente.

Licenciado em teologia, com especialidade de catequética, doutorou-se no Instituto Superior de Pastoral, em Madrid, com uma tese sobre os catecismos portugueses da infância e adolescência, de 1953 a 1993.

Na diocese da Guarda foi responsável pelos Departamentos de Catequese e do Ensino da Igreja nas Escolas e era, actualmente, o director do Secretariado Diocesano da Educação Cristã. Era ainda assistente diocesano das Conferências Vicentinas e assistente geral da Liga dos Servos de Jesus - uma Associação Pública de Fiéis, fundada em 1924, pelo então bispo auxiliar da Diocese da Guarda, D. João de Oliveira Matos, a cujo processo de beatificação o novo bispo está também ligado.