Tempo
|

Crise deixa jovens vulneráveis a extremistas, alerta Bruto da Costa

22 mai, 2012 • Domingos Pinto

Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz diz que os jovens não podem sofrer as consequências das limitações orçamentais a ponto de não verem saídas para o seu futuro.  

Crise deixa jovens vulneráveis a extremistas, alerta Bruto da Costa
19 de Outubro, Terça à Noite
A crise na Europa atinge de modo particular os jovens que estão mais vulneráveis á influência de grupos radicais e por isso mesmo podem envolver-se em acções xenófobas e extremistas.

O alerta partiu hoje da Conferência das Comissões Justiça e Paz da Europa que dá a receita aos líderes políticos, é preciso investir mais nos jovens, diz Alfredo Bruto da Costa, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz.

“O que preocupa fundamentalmente é que num contexto em que surgem novas forças que tentam atrair não só os jovens mas as sociedades inteiras para perspectivas xenófobas e extremistas, que os jovens, não encontrando uma sequência normal para os seus estudos, para os seus empregos, para os seus ideais, se tornem vulneráveis a esses movimentos extremistas”, considera.

Um recado ao poder politico, que tem dois sentidos: “Por um lado chamar atenção aos governos, mesmo em tempo de crise, que se tenha em atenção que os jovens não podem sofrer as consequências de limitações orçamentais a ponto de não verem saídas para o seu futuro”, alerta.

“Por outro lado um apelo aos jovens para não ficarem numa atitude estática, mas procurarem uma intervenção política e, também, os jovens terem em conta que o mundo em que vão viver é um mundo multicultural e abrirem-se a contacto e convivência com outras culturas”, diz ainda Alfredo Bruto da Costa.

No caso dos jovens portugueses, Bruto da Costa acrescenta ainda uma outra preocupação: “Sabemos que há muitos jovens que terminam com alto grau de qualificações e depois simplesmente não têm saídas em Portugal e vão para o estrangeiro. É uma perda de massa cinzenta do país que é tão necessária aqui.”