Tempo
|

Bispos sul-americanos intercedem junto a presos e criminosos

30 mar, 2012

Acção de prelados nas Honduras e em El Salvador já tiveram efeitos práticos e são apoiados pelas autoridades.

Bispos sul-americanos intercedem junto a presos e criminosos
Dois bispos sul-americanos foram notícia esta semana pelas melhores razões, ao terem intercedido junto de presos e criminosos com o objectivo de evitar a violência.

Em El-Salvador foi o bispo das Forças Armadas, Fabio Colindres Abarca, quem interveio pessoalmente para assegurar uma trégua entre dois dos maiores gangues do país.

Segundo o bispo foram os próprios gangues que pediram a mediação da Igreja para tentar pôr fim ao feudo. As autoridades civis não intervieram directamente mas o presidente do país já disse que apoia totalmente a acção da Igreja e, para facilitar o processo, mandou transferir 30 presos dos gangues de cadeias de alta segurança para estabelecimentos com melhores condições.

O efeito imediato da trégua tem sido uma diminuição abrupta no número de homicídios em El Salvador.

Um bispo na Cadeia
No caso das Honduras a intervenção da Igreja, liderada novamente por um bispo, o auxiliar de San Pedro de Sula, Rómulo Emiliani, que mediou um conflito entre grupos diferentes numa prisão naquela diocese.

Os confrontos levaram a um incêndio, ontem, que causou 14 mortos. Uma vez apagadas as chamas o bispo esteve no local e conseguiu convencer os envolvidos a terminar o seu envolvimento, garantindo assim a paz.

“Estou grato a Deus, foi como um milagre. A situação estava próxima do caos total”, afirmou o bispo, em citado pela Radio Vaticano.

O bispo não é nenhum estranho na prisão de San Pedro de Sula, onde trabalha habitualmente com detidos para os tentar reabilitar e preparar para o regresso à vida civil e reintegração na sociedade.

A cidade de San Pedro de Sula é considerada, em relatórios da ONU, como a mais violenta do mundo. As Honduras têm ainda um problema grave de sobrelotação das prisões.