Tempo
|

Morreu Shenouda III, o patriarca dos coptas

17 mar, 2012

Nazeer Gayed, de seu nome “civil”, nasceu a 3 de Agosto de 1923. A causa da morte não é ainda conhecida.

Morreu Shenouda III, o patriarca dos coptas
Morreu Shenouda III, o patriarca dos coptas
Seguindo a tradição local, o corpo do patriarca da Igreja Copta no Egipto, que morreu este sábado, foi paramentado e colocado no trono patriarcal da Catedral de Abassiya, no Cairo, onde se juntou uma enorme multidão de cristãos coptas para uma vigília, na passada noite. Shenouda III tinha 88 anos e sofria de várias doenças crónicas.

Morreu o patriarca da Igreja Copta no Egipto. Shenouda III, patriarca dos cristãos ortodoxos egípcios, tinha 88 anos e sofria de várias doenças crónicas.

Shenouda III foi eleito em 1971 Papa de Alexandria e Patriarca da Igreja Ortodoxa de São Marcos, como é conhecida a autoridade máxima dos cristãos egípcios.

Nazeer Gayed, de seu nome “civil”, nasceu a 3 de Agosto de 1923. Licenciou-se em História na Universidade do Cairo em 1947, foi professor de Ciências Sociais e Inglês, e falava com fluência árabe, copta e francês.

Seguindo a tradição local, já depois de morto o corpo de Shenouda III foi paramentado e colocado no trono patriarcal da Catedral de Abassiya, no Cairo, onde se juntou uma enorme multidão de cristãos coptas para uma vigília, na passada noite.

Bento XVI fez chegar aos coptas as suas condolências pela morte de Shenouda, tal como fez Barack Obama e outros líderes e políticos de várias nações. A junta militar que governa actualmente o Egipto concedeu a todos os cristãos que trabalham para o Estado um dia de luto.

Durante o seu pontificado a Igreja Copta conheceu uma profunda expansão e desenvolvimento, tanto internamente como a nível internacional. Nos Estados Unidos, por exemplo, a Igreja Copta Ortodoxa passou de quatro igrejas em 1971 para cerca de 200 actualmente.

Shenouda apostou fortemente na formação do clero copta, promovendo essencialmente bispos e metropolitas com educação superior e elevando significativamente o nível intelectual e de sofisticação do discurso e das actividades da Igreja.

Adel Sidarus, cristão egípcio e professor na Universidade de Évora, elogia a visão que Shenouda teve neste campo: "Conseguiu estruturar a Igreja de uma maneira também, contestada por alguns, mas se virmos do ponto de vista sociológico, foi uma coisa extraordinária, hoje temos quase cem bispos, 90% deles universitários, que se fizeram monges para um dia serem chamados a serem bispos."

Ao longo destes 41 anos ordenou cerca de 80 bispos e mais de 600 padres.

Shenouda chegou a ser acusado de ser demasiado próximo do regime de Hosni Mubarak e inicialmente alertou os coptas para não participarem nas revoltas que acabariam por derrubar o regime. Contudo, os seus defensores dizem que agia apenas em função do interesse superior da comunidade que liderava.

O Papa dos Coptas foi também um pioneiro do diálogo ecuménico, tendo sido o primeiro líder da sua Igreja a visitar o Vaticano, em 1973. Foi autor de mais de uma centena de livros espirituais.

O funeral terá lugar na Terça-feira e o corpo deverá ser sepultado no mosteiro onde o Papa viveu durante vários anos, exilado pelo então presidente Anwar Sadat.

Enquanto não for escolhido um novo Papa a chefia da Igreja será garantida pelo bispo Bakhoumious, de Bahira. A eleição de um sucessor deverá ocorrer dentro de cerca de dois meses.

A Igreja Copta Ortodoxa é a maior comunidade cristã no mundo árabe e é também uma das principais igrejas da Comunhão de Igrejas Ortodoxas Orientais, que inclui a Igreja da Etiópia, da Arménia e a Igreja Siríaca e constitui a quarta maior comunhão cristã do mundo.