Tempo
|

"Quaresma é tempo de penitência e conversão”

22 fev, 2012

D. José Policarpo lamenta a perda do “sentido do pecado” na sociedade contemporânea.

"Quaresma é tempo de penitência e conversão”

"A Quaresma é tempo de penitência e de conversão”, afirmou hoje o Cardeal Patriarca de Lisboa, na homília da missa de Quarta-feira de Cinzas, celebrada na Sé de Lisboa.

A conversão, disse D. José Policarpo, “é sempre um acto de humildade e de confiança” e “exige que ponhamos o coração onde Deus tem o Seu a nosso respeito e que não nos percamos na materialidade das coisas do mundo”.

Na missa que assinalou o arranque da Quaresma, o Patriarca sublinhou que o bem deve ser praticado “para Deus ver e não para os homens nos louvarem”.

Esse louvor humano, refere o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, “seria a nossa triste recompensa”.

“A esmola, o jejum, a oração, devem passar-se entre nós e Deus. Ele que vê o que mais ninguém vê, dar-nos-á a recompensa", disse D. José Policarpo.

O Patriarca lamentou a perda do “sentido do pecado” na sociedade contemporânea, convidando os católicos à “humildade”.

“A primeira manifestação da humildade na verdade é reconhecermos que somos pecadores, a realidade e o realismo do pecado na nossa vida”, afirmou.