Tempo
|

Tropas do Myanmar destroem igrejas, matam e torturam cristãos

15 fev, 2012 • AIS

Minorias muçulmanas e monges budistas também são atingidos pela repressão das forças armadas desta ditadura.  

Tropas do Myanmar destroem igrejas, matam e torturam cristãos
As tropas de Myanmar estão a matar e a torturar cristãos e a destruir igrejas e aldeias na região da minoria étnica Kachin, que é predominantemente cristã, alerta a ONG Christian Solidarity Worldwide (CSW).

Segundo esta entidade, os actos de violência imputáveis às forças armadas estão a ocorrer depois de o Governo e os rebeldes terem acordado um cessar-fogo na região. O relatório da CSW foi tornado público após uma visita ao Estado de Kachin e dá conta de informações que atestam o uso de grande violência contra as comunidades cristãs, nomeadamente com recurso a tortura.

Alegadamente, estes ataques ocorrem porque o Governo não quer conceder a independência almejada pelo Estado Kachin. Segundo a Christian Solidarity Worldwide, os cristãos têm sido presos, torturados e mortos pelas tropas governamentais.

Já em Novembro do ano passado, pouco antes da visita de Hillary Clinton ao país, a CSW enviou uma carta à secretária de Estado norte-americana solicitando o fim dos ataques às “minorias étnicas” e pedindo que auxiliasse na libertação de “todos os prisioneiros políticos”.

A ONG já então denunciava casos específicos de violência sexual, trabalho forçado, torturas, assassínios e ataques contra igrejas no Estado Kachin, notando “graves e constantes abusos de direitos humanos perpetrados pelo exército nas áreas étnicas, de modo especial no Estado Kachin” e denunciando “ataques a pastores cristãos, sacerdotes e igrejas, a discriminação dos povos muçulmanos Rohingya e a prolongada detenção de monges budistas” que comprovam evidentes violações da liberdade religiosa.