Tempo
|

Arábia Saudita continua a impedir cristãos de rezar

01 fev, 2012

A prática religiosa não-islâmica é expressamente proibida no país.

Arábia Saudita continua a impedir cristãos de rezar
Arabia Saudita
Um grupo de 35 cristãos foi detido quando se encontrava para rezar, na Arábia Saudita.

Os cristãos, todos de nacionalidade etíope, foram levados para a prisão e sujeitos a maus-tratos, segundo revela a organização Human Rights Watch.

Ao fim de vários dias encarcerados alguns dos etíopes foram levados a tribunal e obrigados a colocar as suas impressões digitais em documentos que não puderam ler. Foram acusados de estar num ajuntamento ilegal de pessoas solteiras do sexo oposto. O grupo era constituído por seis homens e 25 mulheres.

O evento teve lugar em meados de Dezembro, mas só agora veio a luz. É possível que alguns ou mesmo todos os membros do grupo sejam expulsos do país.

A Arábia Saudita é um dos países mais intolerantes a nível da liberdade religiosa. Não existe um único local de culto não muçulmano no país e qualquer símbolo cristão é expressamente banido. Bíblias, cruzes e outros artefactos identificáveis com o Cristianismo são frequentemente confiscados na fronteira e nem ajuntamentos informais de cristãos são tolerados.

Contudo, o reino saudita continua a financiar iniciativas e centros de diálogo inter-religioso em países ocidentais, promovendo o conhecimento e a divulgação do Islão.