Tempo
|

Portugal

"Retrato da identidade católica" apresentado no início de 2012

17 nov, 2011 • Ecclesia

Inquérito abrangeu 3.500 pessoas e deverá ter um nível de confiança de 95%.

"Retrato da identidade católica" apresentado no início de 2012
O Centro de Estudos de Religiões e Culturas da Universidade Católica Portuguesa (UCP) está a desenvolver uma investigação sobre “identidades religiosas em Portugal”, que vai permitir avaliar o grau de importância da Igreja na sociedade actual. 

O coordenador científico do projecto, Alfredo Teixeira, adianta hoje, em declarações à agência Ecclesia, que a primeira fase deste estudo “já está concluída”, com a realização de um inquérito de rua junto de “3.500 pessoas, de Portugal continental e das ilhas”.

“Até ao início do próximo ano, haverá resultados apurados”, acrescenta o professor da Faculdade de Teologia da UCP, que espera “um retrato um pouco mais fino da identidade católica”.

A “posição e pertença religiosa” das pessoas, as “práticas orantes individuais e/ou em família” e o “grau de satisfação” face à acção da Igreja são alguns dos aspectos que estão a ser analisados.

No entanto, o processo vai mais longe do que a mera caracterização religiosa das pessoas, medindo também “práticas de natureza cultural, de lazer, de território (mobilidades)”, entre outros.

“Nós só conseguimos tirar conclusões sobre como é que as pessoas se definem relativamente à Igreja Católica se percebermos como elas são”, explica Alfredo Teixeira.

A sondagem, que decorreu durante a primeira quinzena de Novembro, abrangeu cidadãos portugueses com “15 anos ou mais”, distribuídos por regiões “rurais, semi-urbanas e urbanas”.

O Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da UCP, entidade responsável pela metodologia aplicada ao questionário, considera que os resultados obtidos devem ter um “nível de confiança de 95%”.

Este projecto surge no seguimento da iniciativa ‘Repensar juntos a Pastoral da Igreja em Portugal’, proposta pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) para os próximos anos, e dá, também, continuidade à investigação pedida pelos bispos portugueses em 1999, na preparação para o Ano Jubilar, que antecedeu o último recenseamento da prática dominical.

Na última reunião da assembleia plenária da CEP, que decorreu entre os dias 7 e 10 deste mês, os bispos revelaram, em comunicado, que “a programada sondagem à opinião pública sobre o modo como o cidadão português se posiciona perante a Igreja e as expectativas que tem a seu respeito”, prevista para o mês de Outubro, tinha sido adiada por “razões técnicas”.