Tempo
|

Espanha

Bispos espanhóis apelam a leis que promovam a vida e o casamento

15 nov, 2011

Episcopado confirma que são legítimos os nacionalismos que, por meios pacíficos, procuram reconfigurar a unidade do Estado espanhol. País vai a votos no domingo.

"É necessário promover novas leis que reconheçam e tutelem melhor o direito de todos à vida, bem como o direito dos espanhóis serem tratados pela lei especificamente como «esposo» e «esposa», num matrimónio estável", consideram os bispos espanhóis.

A oposição ao aborto e à eutanásia, embora não referidos especificamente, são assim os temas eleitos como prioritários pelo espicopado numa nota datada de Outubro mas com recomendações sobre as eleições que se realizam no próximo domingo, juntamente com a defesa do casamento como sendo apenas entre um homem e uma mulher.

“As decisões políticas devem ser morais e justas, não só consensuais ou eficazes; para isso devem fundamentar-se na razão de acordo com a natureza do ser humano”, afirmam os bispos.  Sem falar em partidos específicos, os bispos elencam aquelas que consideram que deviam ser as principais preocupações dos católicos na altura de escolher em quem votar.

O direito à vida é o primeiro assunto concreto que é apontado. “Chamamos de novo atenção para o perigo que apresentam determinadas opções legislativas que não tutelam adequadamente o direito fundamental à vida de cada ser humano, desde a concepção até à morte natural, que chegam a tratar como um direito aquilo que na realidade é um atentado ao direito à vida”, escrevem.

No mesmo parágrafo é abordada a questão do casamento: “São também perigosos e nocivos para o bem comum ordenamentos legais que não reconhecem ao matrimónio aquilo que lhe é próprio e específico, uma união firme entre um homem e uma mulher, ordenada ao bem dos esposos e dos filhos”.

Os bispos pedem ainda novas políticas que assegurem o emprego, numa sociedade onde a falta de trabalho é crónica, e recordam especialmente a “altíssima percentagem de jovens que nunca pôde trabalhar, ou que perderam o seu emprego e, com razão, exigem condições mais favoráveis para o presente e futuro”. Nesta matéria, para além dos jovens, é pedida uma atenção especial para com os mais vulneráveis “como são os idosos, os doentes e os imigrantes”.

No final do texto ainda são referidos dois assuntos considerados importantes. O direito dos pais educarem os seus filhos segundos os seus valores e princípios, incluindo o respeito pela educação religiosa na escola pública, e a firme condenação do terrorismo, pese embora os bispos façam uma distinção, considerando legítimos “os nacionalismos ou regionalismos que, por meios pacíficos, desejam uma nova configuração da unidade do Estado espanhol”.

As eleições em Espanha têm lugar no próximo Domingo, dia 20 de Novembro. As projecções dão vitória com maioria absoluta ao PP, actualmente na oposição.