Tempo
|

Islão

Primeira peregrinação a Meca desde a “Primavera Árabe”

07 nov, 2011

Governo da Arábia Saudita em estado de alerta perante a entrada de 2.5 milhões de peregrinos, muitos dos quais de países que acabaram de derrubar ditaduras.

As autoridades da Arábia Saudita estão em estado de alerta este ano com o início da primeira peregrinação a Meca desde a chamada “Primavera Árabe”, que já viu serem derrubadas três ditaduras no Médio Oriente e revoltas em mais alguns países.

Durante o mês em que os muçulmanos procuram cumprir a sua obrigação religiosa de visitar Meca esperam-se cerca de 2.5 milhões de peregrinos. As autoridades sauditas costumam controlar todo o processo de forma meticulosa, desde a alocação de vistos de entrada à organização dentro da cidade e dos pontos de peregrinação, mas este ano estarão particularmente atentos a qualquer ponto de protesto que possa pôr em causa o regime e a segurança dos fiéis.

A Arábia Saudita é uma monarquia absolutista que quer evitar ao máximo qualquer contágio do fervor que derrubou os regimes tunisino, egípcio e líbio. Contudo, milhares de fiéis destes mesmos países, muitos ainda entusiasmados com as revoluções, estarão no local onde certamente transmitirão os seus sentimentos a correligionários de outros países.

Outro ponto de preocupação é o Irão. O regime saudita e Teerão, dois rivais regionais, estão com as relações particularmente tensas desde que os Estados Unidos anunciaram ter descoberto um plano iraniano para assassinar o embaixador saudita junto de Washington.