Tempo
|

Guarda

GNR pede ajuda aos padres na sensibilização de idosos para burlas

28 out, 2011

Burlões tendem a ser homens bem-falantes e convincentes avisa GNR.

A GNR da Guarda revelou hoje que vai pedir a colaboração dos padres da Diocese no combate às burlas, por considerar que os sacerdotes são "um veículo privilegiado" na passagem de informação às populações.

O tenente-coronel Cunha Rasteiro, chefe de investigação criminal do Comando Territorial da GNR da Guarda, adiantou hoje à Lusa que, no âmbito do programa "Apoio 65 – Idosos em Segurança", a guarda está a promover, até 15 de Novembro, "várias acções de sensibilização de idosos sobre a forma de evitar as burlas", tendo também recorrido à Igreja.

O recurso aos sacerdotes é justificado por no distrito terem sido registadas, só este ano, 48 burlas e dez delas envolvendo pessoas de idade, tendo sido detidos dez suspeitos deste crime, disse.

"Como no distrito da Guarda as pessoas vivem dispersas e têm o hábito de frequentar as igrejas", foi pedida colaboração à diocese "para que a mensagem chegue ao maior número de pessoas possível", justificou.

Referiu que a colaboração dos sacerdotes "é a melhor forma" para a GNR "passar a informação, independentemente de também fazer contactos com as pessoas", alertando-as para os cuidados de segurança que devem ter no dia-a-dia.

Cunha Rasteiro salientou que foi pedida colaboração ao bispo da Guarda para que nas homilias ou nos locais onde julgar conveniente, solicite aos padres que abordem "esta problemática" e alertem a população.

Justificou que a campanha é dirigida aos idosos "em virtude desta faixa etária da população ser a mais afectada por uma criminalidade específica, nomeadamente, tentativa de burla ou burla consumada".

Segundo o mesmo oficial da GNR as populações estão a ser informadas para que tenham "cuidado com as burlas" e não deixem "entrar pessoas suspeitas em casa".

"Não confie em estranhos bem-falantes ou cheios de boas intenções, nem forneça qualquer informação, desconfie de esquemas que lhe ofereçam dinheiro fácil", são alguns dos conselhos.

A GNR também lembra que os burlões "são homens e mulheres bem vestidos, bem-falantes, com voz calma e afável, com uma conversa convincente e cativante".

"Apresentam-se como familiares, amigos de familiares, funcionários da Segurança social, dos CTT, bancários e médicos", acrescenta Cunha Rasteiro, referindo que em muitos casos, alegam que pretendem trocar dinheiro "porque as notas perderam a validade e vão sair de circulação".

Caso os idosos sejam burlados, devem alertar de imediato as autoridades e ficar atentos à memorização de referências pessoais dos suspeitos e dos veículos, concluiu.