Tempo
|

Patriarca encerra jubileu sacerdotal com mensagem de unidade

25 out, 2011

Celebração decorreu na Sé de Lisboa.

Patriarca encerra jubileu sacerdotal com mensagem de unidade
Patriarca encerra jubileu sacerdotal com mensagem de unidade

A Diocese de Lisboa encerrou esta noite, em clima festa, o jubileu sacerdotal do Cardeal Patriarca. D. José Policarpo deixou uma mensagem de unidade.

A celebração, que decorreu na Sé de Lisboa, acabou com palmas e saudações dos fiéis que acompanharam o Patriarca de Lisboa nesta dupla festa: o encerramento do seu jubileu sacerdotal com a dedicação da catedral.

D. José Policarpo sublinhou, durante a homilia, a importância da catedral para a missão evangelizadora da Igreja, um símbolo da unidade da Diocese.

“Se o presbitério estiver unido ao Bispo, as igrejas paroquiais estão necessariamente unidas à catedral, são um prolongamento desta porque todas constituem o único templo para onde o Senhor congrega continuamente o Seu povo. Não há lugar para autonomias ou autarcias”, declarou.

“A liturgia como modo de celebrar, a proclamação da palavra, sobretudo da homilia, as prioridades pastorais decididas para toda diocese, serão possíveis nesta busca da unidade”, salientou o Patriarca. 

D. José Policarpo agradeceu a forma como a Diocese assinalou este jubileu, um percurso que aprofundou a sua ligação à catedral e fortaleceu o seu sacerdócio.

No final, o Cardeal Patriarca recebeu os cumprimentos do fiéis e dos seus colegas no episcopado. À Renascença, o Núncio Apostólico em Lisboa, D. Rino Passigato, deu os parabéns a D. José Policarpo.

O Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, que foi seu Bispo auxiliar no Patriarcado de Lisboa, lembrou “a companhia, a lição, a companhia, a prudência, a clareza” do Cardeal Patriarca.

O mais jovem Bispo português, D. José Cordeiro, Bispo de Bragança, fala de admiração e gratidão por D. José Policarpo.