Tempo
|

Morreu o patriarca da Igreja Católica Arménia

25 jun, 2015 • Filipe d'Avillez

Num telegrama enviado à Igreja Católica Arménia o Papa Francisco expressou as suas condolências pela morte de Nerses Bedros XIX, realçando o trabalho efectuado em conjunto.

Morreu o patriarca da Igreja Católica Arménia
Morreu esta quinta-feira, no Líbano, o patriarca arménio da Cilícia dos arménios, Nerses Bedros XIX, aos 75 anos, vítima de um ataque cardíaco.

Na qualidade de patriarca da Cilícia dos arménios, Bedros XIX era pastor de mais de uma Igreja com cerca de um milhão de membros, espalhados pelo mundo.

A Arménia foi o primeiro país ainda existente a declarar o cristianismo como religião oficial do Estado, no ano 301. Desde então, o cristianismo tem sido parte fundamental da identidade arménia. Actualmente há duas principais igrejas arménias, uma ortodoxa, com cerca de nove milhões de membros, e a católica, em comunhão com Roma.

Os arménios são conhecidos por ter uma grande diáspora, sobretudo no Médio Oriente, mas actualmente também na América do Norte e na Europa. O falecido patriarca era uma imagem disso mesmo, tendo nascido e sido ordenado no Egipto mas vivendo agora em Beirute, onde se encontra a sede patriarcal da sua igreja.

Num telegrama enviado à Igreja Católica Arménia, o Papa Francisco expressou as suas condolências pela morte de Nerses Bedros XIX, realçando o trabalho efectuado em conjunto, que culminou na nomeação em Abril de São Gregório Narek, uma figura central para a espiritualidade arménia, como doutor da Igreja.

O seu sucessor será escolhido pelo sínodo da Igreja Arménia Católica.