Tempo
|

Papa para futuros diplomatas: “A verdadeira autoridade da Igreja é a caridade”

25 jun, 2015 • Filipe d’Avillez

Francisco recebeu esta quinta-feira em audiência os futuros representantes diplomáticos da Santa Sé, a quem pediu atenção às culturas dos países em que são colocados.  

Papa para futuros diplomatas: “A verdadeira autoridade da Igreja é a caridade”
O Papa Francisco quer que os representantes diplomáticos da Santa Sé, os núncios apostólicos, compreendam que a sua autoridade não difere daquela de quem representam, e que é a caridade.

"Vocês preparam-se para representar a Santa Sé na Comunidade das Nações e nas igrejas locais a que estão destinados. A Santa Sé é a sede do Bispo de Roma, a Igreja que preside no amor", disse.

"A verdadeira autoridade da Igreja de Roma é a caridade de Cristo, não há nenhuma outra. Esta é a única força que faz com que seja universal e credível para os homens e para o mundo."

Os núncios não podem, por isso, representar o Papa nos outros países sem ter isto em conta, diz Francisco. "Não se pode representar alguém sem reflectir as suas características, sem invocar o seu rosto."

As suas palavras surgem a poucos dias do início de um julgamento de um ex-núncio apostólico, acusado de ter abusado sexualmente de jovens e crianças na República Dominicana.

Aos futuros núncios o Papa pediu ainda que respeitem as culturas dos países para onde serão enviados. "Não devem transpor, no ambiente em que actuam, os padrões de entendimento, os parâmetros culturais e a tradição eclesial."

Por fim, Francisco descreveu as principais necessidades das diferentes regiões onde podem ser colocados os núncios, sublinhando que a Europa precisa de "despertar" e que África se encontra "sedenta de reconciliação".