Tempo
|

Detido suspeito de massacre em igreja dos Estados Unidos

18 jun, 2015

Ataques com armas de fogo como o da última noite não acontecem noutros países avançados, afirma o Presidente Barack Obama.

Detido suspeito de massacre em igreja dos Estados Unidos
Detido suspeito de massacre em igreja dos Estados Unidos
A polícia norte-americana capturou esta quinta-feira o suspeito do ataque contra uma igreja, em Charleston, na Carolina do Sul, que provocou a morte a nove pessoas. Em reacção ao ataque, o presidente, Barack Obama afirma que ataques como este, com armas de fogo, não acontecem noutros países avançados.

A polícia norte-americana capturou esta quinta-feira o suspeito do ataque contra uma igreja, em Charleston, na Carolina do Sul, que provocou a morte a nove pessoas.

As autoridades detiveram Dylann Roof, um homem caucasiano de 21 anos, numa operação Stop na localidade de Shelby, no estado da Carolina do Norte, a 350 quilómetros do local do crimes.

“Este indivíduo cometeu um crime trágico e hediondo na última noite”, disse aos jornalistas o chefe da polícia Gregory Mullen.

O ataque ocorrido na quarta-feira à noite teve como alvo uma igreja de Charleston, considerada um marco histórico da comunidade afro-americana. Em fotografias do jovem, divulgadas pela imprensa americana, Dylann aparece com emblemas das bandeiras da África do Sul e da antiga Rodésia, que remetem para os sistemas de Apartheid que vigoraram em ambos os países.

O procuradoria-geral dos Estados Unidos admite que Dylann Roof pode ser acusado de um crime de ódio por motivos raciais.
 
O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mostrou-se esta quinta-feira destroçado com o massacre na igreja de Charleston.

Ataques com armas de fogo como o da última noite nos Estados Unidos não acontecem noutros países avançados, afirmou Obama.

[Notícia actualizada às 6h23]