Tempo
|

Deputados vão formar grupo de solidariedade com os cristãos perseguidos

28 mai, 2015 • Susana Madureira Martins

Um dos promotores é o centrista Ribeiro e Castro, que considera que tem sido muito fraca a qualidade da resposta europeia e ocidental às perseguições feitas aos cristãos.

Está prestes a ser constituído o grupo parlamentar de solidariedade com os cristãos perseguidos no mundo. O objectivo é dar resposta política a um problema que nos últimos anos se tem agravado.

Deputados do PSD, CDS e PS já assinaram uma declaração de constituição e estão agora a fazer contactos com o PCP e o Bloco de Esquerda.

Um dos promotores deste grupo parlamentar é o centrista Ribeiro e Castro, que considera que tem sido muito fraca a qualidade da resposta europeia e ocidental às perseguições feitas aos cristãos.

O deputado quer ver melhorada essa resposta. Os deputados pode denunciar casos de perseguição, fazer contactos diplomáticos a vários níveis, tomar iniciativas políticas como promover audições parlamentares ou receber pessoas perseguidas e exilados, explica Ribeiro e Castro.  

São vários os casos de perseguição aos cristãos pelo mundo e intensificaram-se nos últimos anos, com a ascensão dos movimentos terroristas do autoproclamado Estado Islâmico, que controla partes do Iraque e da Síria, e do Boko Haram, na Nigéria, sublinha o deputado do CDS.

Este novo grupo parlamentar poderá depois alargar a sua acção na defesa de outras confissões religiosas que também são perseguidas.

“Preocupa-nos o surto de anti-semitismo que há nalguns locais da Europa, também estaremos atentos a isso e poderão formar-se outros grupos semelhantes a estes”, diz Ribeiro e Castro.

O grupo parlamentar de solidariedade com os cristãos perseguidos no mundo deverá durar até ao final desta legislatura. Ribeiro e Castro espera que no futuro se possa tornar uma tradição.