Tempo
|

Dupla canonização é motivo de esperança para cristãos na Terra Santa

13 mai, 2015 • Filipe d'Avillez

Mariam Baouardy e Marie Alphonsine Danil Ghattas eram ambas freiras palestinianas que viveram no século XIX.  

O Papa Francisco vai canonizar no domingo duas freiras palestinianas. Trata-se de um gesto que encoraja os cristãos que ainda vivem na Terra Santa, que são na sua maioria etnicamente palestinianos.

Mariam Baouardy e Marie Alphonsine Danil Ghattas viveram no século XIX. A primeira viajou primeiro para França, onde se tornou carmelita, e depois foi para a Índia. Lá fundou vários conventos, apesar de nem sequer saber ler ou escrever.

Já a irmã Marie Ghattas nasceu em Jerusalém e juntou-se a uma congregação religiosa aos 15 anos. Mais tarde saiu para dar início à sua própria ordem, as irmãs do Santíssimo Rosário de Jerusalém e, segundo o Vaticano, trabalhou incansavelmente para ajudar os jovens e as mães na comunidade cristã local.

"O facto de Mariam e de Marie Alphonsine, as primeiras santas palestinianas da era moderna, serem ambas árabes é um sinal de esperança para a Palestina, para toda a Terra Santa e para o Médio Oriente”, disse o patriarca latino de Jerusalém, Fouad Twal.

"A santidade é sempre possível, mesmo numa terra marcada pela guerra. Que sejam seguidas por uma geração de santos!", pede o patriarca, em declarações reproduzidas pela "Vatican Insider".