Tempo
|

Livro inspirado em Maria ajuda cristãos perseguidos

13 mai, 2015 • Ângela Roque

“Inspirei-me nas várias invocações de Nossa Senhora e faço uma reflexão, partindo também de uma realidade que estamos a viver hoje”, explica a autora, que decidiu doar as receitas à fundação Ajuda à Igreja que Sofre.

É lançado esta quarta-feira, em Lisboa, o livro “Teu nome: Mãe”, de Maria Teresa Maia Gonzalez, cujas receitas vão reverter a favor dos vários projectos com que a Ajuda à Igreja que Sofre está a apoiar os cristão perseguidos, nomeadamente no Médio Oriente.

Em declarações à Renascença, a escritora explica o que a levou a querer escrever este livro de reflexões marianas e ajudar a Fundação: “Tinha uma grande vontade de escrever sobre Maria e a minha relação com ela. Já o tinha feito para crianças, no livro ‘A Rainha do Céu e eu’, e ainda não o tinha feito para os mais crescidos. E surgiu esta oportunidade.”

“Quando comecei a escrevê-lo fui-me lembrando que fazia todo o sentido associar este projecto à fundação Ajuda à Igreja que Sofre, porque mais do que nunca nós ouvimos falar dos cristãos perseguidos e eu senti este grande apelo, esta grande vontade de fazer pequenos momentos de oração e de reflexão aos pés de Maria, que é disso que trata este livro, tendo também presentes essa e outras realidades que os cristãos estão a viver nos tempos que correm.”

Na prática, trata-se de um livro de oração, em que se parte das várias invocações que se fazem de Nossa Senhora, e se pede a sua ajuda para os problemas de hoje, explica a autora.

“Inspirei-me nas várias invocações de Nossa Senhora nos seus vários títulos, se assim quisermos chamar-lhes: Mãe do Rosário, Mãe Esperança, Mãe Imaculada, por aí fora, respeitando a cronologia da vida de Nossa Senhora na terra e partindo dessas invocações como pistas de oração.”

“Com base nessa invocação eu faço uma reflexão, partindo também de uma realidade de hoje, que estamos a viver hoje. Portanto, trago Nossa Senhora para esta realidade, pedindo a sua ajuda para vencermos as várias dificuldades que se nos deparam hoje”, diz.

A data e o local para o lançamento do livro também não foram escolhidos ao acaso: “É um privilégio ser no dia 13 de Maio. Vai ser, ainda por cima, numa igreja à qual estou muito ligada, embora não seja a minha paróquia – o Centro Paroquial da Igreja de Fátima. E, portanto, é uma felicidade muito grande poder fazer o lançamento ali naquele espaço, na sala cónego Abranches, estou muito contente com isso”.

O lançamento está marcado para as 18 horas desta quarta-feira, em Lisboa.