Tempo
|

"Fidelidade" e "esperança". As palavras com que D. Manuel recorda Policarpo

12 mar, 2015

No primeiro aniversário da morte de D. José Policarpo, o actual patriarca recordou a proximidade dos dois numa missa celebrada no Panteão dos Patriarcas em São Vicente de Fora.

D. José Policarpo foi recordado esta quinta-feira na igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa. O primeiro aniversário da morte do anterior patriarca de Lisboa foi assinalado com uma missa celebrada no Panteão dos Patriarcas, presidida por D. Manuel Clemente, e concelebrada pelos bispos auxiliares de Lisboa.

Durante a homilia, o actual cardeal patriarca lembrou o legado de D. José Policarpo, marcado por duas palavras: "fidelidade" e "esperança".

"Foram duas palavras que ele vincou na última homilia que fez à frente da diocese e acho que ele foi muito certeiro na escolha dessas palavras", afirmou D. Manuel, em declarações à Renascença, no final da celebração.

D. Manuel recordou a proximidade que sempre teve com o seu antecessor à frente do Patriarcado. "Eu conheci-o praticamente sempre, desde que ele começou o sacerdócio, e depois estive muito perto dele em diversas funções, e a nota da fidelidade era muito própria dele e calha-lhe muito bem, porque tinha a preocupação de avançar naquilo que era preciso avançar, mas sempre com os pés muito bem firmes neste caminho que já trilhamos há 2.000 anos."

D. José Policarpo morreu a 12 de Março de 2014, aos 78 anos de idade.