Tempo
|

Conselho de Segurança vai discutir perseguição aos cristãos no Médio Oriente

09 mar, 2015

O Estado Islâmico tem cometido incontáveis crimes nos territórios que ocupa, mas o tratamento dado a cristãos e membros de outras minorias, como os sabeus e os yazidis, tem sido particularmente brutal.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas vai reunir no dia 27 de Março para discutir e condenar a perseguição aos cristãos - e a outras minorias religiosas - no Médio Oriente.

A reunião foi convocada por França, que  preside ao Conselho de Segurança, e anunciada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius, esta segunda-feira, à margem de uma visita a Marrocos.

“Estamos do lado das minorias perseguidas”, afirmou Fabius, em declarações reproduzidas pela agência France Press. O ministro francês diz que ele mesmo presidirá à reunião que servirá para mostrar que a comunidade internacional não aceitará as atrocidades cometidas por extremistas que “negam às minorias o direito a existir”.

“O que tem sido feito a estas minorias é completamente inaceitável”, afirmou.

Referindo-se, especificamente, ao auto-proclamado Estado Islâmico pelo seu acrónimo árabe, Fabius acrescentou: “O Daesh e os terroristas que estão com eles querem simplesmente erradicar, remover fisicamente ou guilhotinar quem não pensa como eles”.

O Estado Islâmico tem cometido incontáveis crimes nos territórios que ocupa, mas o tratamento dado a cristãos e membros de outras minorias, como os sabeus e os yazidis, tem sido particularmente brutal. Só na semana passada cerca de 220 cristãos de etnia assíria foram raptados, levando à fuga de outras cinco mil pessoas da região.

Foi, aliás, a perseguição movida contra os Yazidis, no Verão de 2014, que levou à decisão da comunidade internacional, liderada pelos EUA, de iniciar ataques aéreos contra o Estado Islâmico.